domingo, 30 de dezembro de 2012

MENSAGEM DE ANO NOVO - 2013 DE S.E. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA TAUR MATAN RUAK

.

Presidência da República de Timor-Leste- Facebook 

Povo Amado de Timor-Leste.

Preparamo-nos todos para um novo ano de trabalho, depois de, em 2012, termos realizado objetivos importantes para o país.

No ano em que comemorámos o 10º Aniversário da Restauração da Independência, realizámos com êxito três atos eleitorais, que tiveram alta participação dos cidadãos; um novo Presidente da República tomou posse; o Parlamento Nacional iniciou a III Legislatura; e dei posse ao V Governo Constitucional.

Estes êxitos foram acompanhados de um ambiente de paz e estabilidade. A missão das Nações Unidas em Timor-Leste terminou. O nosso país saiu da tutela do Conselho de Segurança. Estes êxitos são razão para satisfação.

Mas, ao começar o ano de 2013, os grandes desafios permanecem: combater a pobreza, aproveitar integralmente os recursos naturais do país, desenvolver uma economia sustentável, alcançarmos uma vida melhor.

Apesar de convicções e opiniões diferentes, que são naturais e positivas, todos concordamos que é necessário trabalhar para ter mais bem estar e construir uma vida melhor.

Como fazer para que isto aconteça? Esta é a questão que trago à nossa atenção. Todos temos de contribuir para lhe dar resposta.

Em primeiro lugar, temos o desafio da comunicação entre governantes e governados. Temos de aperfeiçoar esta comunicação.

O objetivo da comunicação entre governantes e governados é aperfeiçoar o desempenho do Estado e da sociedade, para melhorar a situação do país. Temos de saber ouvir-nos uns aos outros; de dar atenção à opinião dos outros.

Em segundo lugar, temos de integrar a sociedade civil, os cidadãos todos, na construção nacional. Precisamos de um novo modelo de participação.

Somos independentes há dez anos e a participação de todos os cidadãos é necessária para alçançar os objetivos da Nação. A nossa sociedade gosta de reclamar direitos. Mas para construir um país melhor, com mais bem estar, os cidadãos têm, principalmente, de dar atenção aos deveres e responsabilidades. A mentalidade que vê o governo como responsável por tudo e os cidadãos como observadores não ajuda ao desenvolvimento. Precisamos de um novo modelo de participação, com mobilização dos cidadãos e a sua responsabilização na construção nacional.

Em terceiro lugar, temos de combater o improviso e o empirismo.

Devemos utilizar as nossas capacidades intelectuais e técnicas, com rigor e eficácia, para planear e ter capacidade de implementar o que planeámos. Não faltam aos filhos de Timor capacidades técnicas e intelectuais: o que falta é maior rigor e organização. O improviso e o empirismo não chegam para vencer os desafios do desenvolvimento.

Por último, temos de fomentar o trabalho em equipa, o espírito de equipa, no seio da sociedade.

Trabalhar em equipa une a sociedade. Com espírito de equipa, seremos capazes de fazer mais do que trabalhando sozinhos. Só o trabalho em equipa pode alcançar os resultados que desejamos e conseguir uma mudança social com mais bem estar, em todo o país.

O nosso país precisa de aumentar os serviços públicos nos distritos, para fazer o Estado chegar onde está a maioria da população.

O país precisa de criar vários pólos de desenvolvimento, para dinamizar a economia das regiões e criar empregos.

Temos de mobilizar os agricultores e investir para aumentar a produtividade da terra e a comercialização dos seus produtos e reduzir a dependência alimentar.

O país precisa de infraestruturas melhores para criar condições para atrair o investimento privado, diversificar a economia e reduzir a dependência do petróleo.

Este trabalho só terá êxito se soubermos ouvir os interessados, em todo o país, se mobilizarmos a sociedade e trabalharmos com rigor; se cumprirmos os planos e envolvermos os cidadãos, num trabalho de equipa.

Povo amado de Timor-Leste


O país continua a pedir a todos nós dedicação, determinação e trabalho árduo. Podem contar com o Presidente da República para trabalhar com a sociedade civil, com o governo e os restantes órgãos de soberania, para juntos vencermos desafios e conquistarmos novas vitórias para Timor-Leste.

Trabalharei com todos para ajudar a tornar 2013 num ano de impulso ao desenvolvimento e à melhoria das condições de vida. Mas a construção de um futuro de bem-estar está nas vossas mãos.

Vamos trabalhar em equipa e tornar Timor-Leste um país mais forte, e mais rico.

Para todos os Timorenses, dentro do país e residentes no exterior, envio o meu abraço e votos de bom Ano Novo, pacífico, feliz e mais próspero.

30-12-201

.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.