quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Governo timorense quer renovar escolas depois de analisar as necessidades

,

Díli, 31 jan (Lusa) -- O ministro da Educação de Timor-Leste, Bendito Freitas, anunciou hoje que o Governo vai começar ainda este ano a mapear as escolas do país e o número de alunos inscritos para iniciar ações de renovação nos estabelecimentos de ensino.

"Queremos fazer um levantamento de dados em todo o território para descobrir quantas escolas, quantas salas de aulas, quantas casas de banho, bibliotecas, professores, cadeiras e mesas são precisas para desenvolver o sistema educativo", disse.

Para Bendito Freitas, só assim será possível dar uma resposta a todas as necessidades no sistema de ensino e Timor-Leste "competir de igual para igual a nível regional e internacional".

O ministro falava no primeiro diálogo "Ação Conjunta para a Educação em Timor-Leste", que teve como principal objetivo estabelecer compromissos para melhorar o setor do país através do envolvimento de todos os intervenientes.

"A educação é um sistema complexo e agora é tempo de redefinir a nossa aproximação às metodologias de ensino, estabelecer uma coordenação integrada com os vários intervenientes da sociedade para consolidar esta estrutura e haver uma atitude de maior responsabilidade", disse.

Segundo Bendito Freitas, nas visitas que efetuou a escolas de todo o país registou uma "proliferação descoordenada de intervenções na educação que não estão alinhadas com as prioridades definidas para o setor".

Para o ministro, a educação é "decisiva para o desenvolvimento do país" e "um assunto de interesse nacional que ultrapassa qualquer divisão ou barreira política, religiosa ou de qualquer outra ordem".

Timor-Leste tem cerca de 1.300 escolas e 352 mil alunos no ensino básico, segundo números avançados pelo ministro.

MSE/VM // VM.

Lusa/Fim
,

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.