quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Sistema financeiro mundial é problema para crescimento económico sustentável - PM timorense

.

Díli, 18 set (Lusa) - O primeiro-ministro de Timor-Leste, Xanana Gusmão, afirmou hoje que o sistema financeiro mundial fracassou e é um problema para o crescimento económico sustentável, que se deve traduzir no aumento do bem-estar social das pessoas.

"O sistema financeiro mundial é uma parte fundamental deste problema, visto que perpetua e reforça a desigualdade. Acho que podemos afirmar de modo convicto que o mercado livre financeiro global fracassou", afirmou o chefe do governo timorense.

Xanana Gusmão falava na sessão de abertura da Conferência de Alto Nível dedicada ao tema "Transformando a Riqueza dos Recursos Naturais em Crescimento Inclusivo e Desenvolvimento Económico", que decorre até quinta-feira em Díli.

"A crise financeira global veio expor a ineficiência, a ganância descontrolada e a corrupção sistemática que grassam no mundo das finanças", disse Xanana Gusmão.

Segundo o chefe do governo timorense, ninguém no mundo desenvolvido assumiu responsabilidades pela crise que afetou, sobretudo, cidadãos vulneráveis.

"No entanto, em Timor-Leste, durante esta crise continuámos a ser moralmente repreendidos por gastarmos o nosso dinheiro na melhoria das vidas precárias dos nossos cidadãos. Repreendidos, diga-se, pelos mesmos especialistas que fizeram ruir a economia mundial", sublinhou.

Para Xanana Gusmão, a "ganância descontrolada e a manipulação do mercado pelas finanças mundiais resultaram num enorme aumento da desigualdade e da hipocrisia".

"Vimos centenas de milhares de milhões de dólares em fundos de resgate a irem para nações desenvolvidas, ao passo que os países frágeis e os países menos desenvolvidos foram em grande parte ignorados. E aqui temos de perguntar porquê?", questionou o primeiro-ministro.

Para Xanana Gusmão, é "perverso" dizerem para as pessoas terem fé num sistema que "está a causar tanta angústia e que continua a perpetuar a desigualdade".

Por acreditar num caminho melhor, Xanana Gusmão explicou aos participantes na conferência que o governo tem estado a garantir que os benefícios dos recursos naturais são aplicados no desenvolvimento do país, nomeadamente na construção de infraestruturas.

"Estamos conscientes de que temos ainda um longo caminho a percorrer. Embora a construção de infraestruturas nacionais de boa qualidade seja essencial para o desenvolvimento social e para possibilitar um crescimento equilibrado, os desafios são grandes e contínuos", disse.

O Fundo Petrolífero de Timor-Leste é atualmente de 14 mil milhões de dólares, com um crescimento médio mensal de 300 milhões de dólares desde o início do ano devido à crise no Egipto e na Síria.

A conferência é organizada em conjunto pelo governo timorense, Fundo Monetário Internacional em colaboração com Banco Asiático de Desenvolvimento, Banco Mundial e a Agência de Cooperação Internacional do Japão.

MSE // JCS

Lusa/fim
,

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.