quinta-feira, 29 de maio de 2014

INTERVENÇÃO DE S.E. PRESIDENTE DA REPUBLICA TAUR MATAN RUAK NO LANCAMENTO DA PEDRA INAUGURAL DO PROJETO ZEESM

,

Oecusse, 25 de Maio de 2014

Senhor Presidente do Parlamento
Senhores Ex-Titulares, Dr. Mari, Dr. Lu-Olo, Dr. Lasama
Senhores Deputados
Senhores Membros do Governo
Convidados e Povo de Oecussi

Na verdade, próximo ano completamos 500, seguindo as palavras do Dr. Mari, nós afirmamos a nossa própria identidade como uma nação livre e independente. O Lançamento desta iniciativa faz também parte dos preparativos para a comemoração dos 500 anos de presença portuguesa e do cristianismo. 

Comerciantes portugueses vieram comprar sândalo em Timor, e não tinham noção que ajudavam Timor a se tornar uma nação e um povo com identidade própria. Se ele estivesse vivo provavelmente estaria muito contente, mas mais contente ainda está o povo Timorense.

Timor existe porque Oecusse existe. Parabéns para Oecusse. Mas, esta iniciativa marca também a intenção e vontade colectiva para integrar a nossa economia na região e no mundo. Pelo facto, todos os órgão soberanos aqui presentes, incluindo o Presidente da República, demonstram a importância deste projeto.
.
O Presidente já visitou o interior de Timor mais de 300 vezes. Quando está em contacto com a população, o que o Presidente da República vê é que o rendimento da população é bastante baixo, e isto influencia as suas condições de vida de forma negative. Por outro lado, fraca produtividade cria dependência para Timor-Leste, dependência externa forte. Uma nação assim dificilmente  auto-sustenta-se e afirma-se como uma nação com voz e espaço na região e no mundo. Por essa razão, o Presidente da República, mesmo tendo conhecimento dos riscos que este projeto tem, o Presidente da República não será um obstáculo para o desenvolvimento da Zona Especial de Economia Social de Mercado (ZEESM).

Mas, o Presidente da República que também dizer que a primeira intenção do Presidente da República é que todo o desenvolvimento que façamos deve ser inclusive, e eu estou contente com o novo conceito, a inovação que Timor lidera pelo facto de incluir o conceito de zona económica especial no mundo deste conceito social. Segundo, sustentabilidade. Uma nação que não produz não tem capacidade para se auto-sustentar. Timor-Leste está determinado a avançar, desenvolver Timor Segundo os desejos do Povo  e não de acordo com o que os líderes pensam e gostam. Fazer o que os líderes gostam é uma coisa, o que o povo precisa é outra.  Mas os dois factores completam-se, porque um indica o sonho, e o outro indica a realização prática para responder aos interesses e preocupações dos cidadãos no dia-a-dia. Terceiro, rigor e qualidade. O Presidente da República lamenta que depois de 12 anos de experiência, Timor-Leste continua a aprender.

Há pouco tempo, o Presidente da República conversou com os intelectuais de Oecussi, e o Presidente disse que sim, Timor tem muitos intelectuais mas os que sabem resolver problemas são poucos. O Presidente pediu para que todos apoiem esta iniciativa, que se entreguem com amor e paixão para que este projeto avance.

Por outro lado, o Presidente espera que este projeto , localizado em Oecusse, com benefícios para a população de Oecusse. O Presidente quer que beneficie também todo este país, naturalmente que faremos esforços para ver o que poderá ser feito para que eles (do resto de Timor-Leste) não possam dizer que os líderes agora só vêm Oecusse como “filho de ouro”.

Por outro aspecto, o Presidente da República quer apoiar esta iniciativa do Governo Timorense, Indonésio e Australiano, de falar sobre o conceito de desenvolvimento triangular. Timor-Leste tem 1 milhão de habitantes, e enquadrados no contexto triangular atinge mais de 20 milhões de mercados, o que significa que o desenvolvimento de Oecussi poderá beneficiar NTT, NTB e ilha Malucos para que eles possam sentir que a globalização tem sentido, um sentido ainda mais amplo, num contexto de uma nova era.

Não é por acaso que o Estado timorense nomeia como fundador um país de George Washington para liderar este projeto, é porque o estado Timorense está determinado e não quer que falhe.

O Presidente dará tudo para que possa ajudar que este processo avance, porque no fundo Timor quer conquistar o seu espaço na região e no mundo, e quer ter voz e integrar-se no espaço económico da região e do mundo.

Timor é pequeno mas a sua fraqueza é faz conseguir ganhar força, prestígio e afirmação como uma nação responsável, uma nação que tem capacidade e que pode contribuir para harmonia social na região e no mundo.

Por essa razão, Dr. Mari conta com meu apoio. Não é fácil, mas como eu já disse várias vezes para a população, é uma grande lição que passará de geração para geração, e aqueles que antes não tem medo de desafios, enfrentaram e venceram desafios, eu acredito que terão sucesso neste projeto. Até porque só vence quem tem vontade e quer vencer. E Timor tem e quer. ###

.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.