quinta-feira, 8 de maio de 2014

Membro do Batalhão de Ordem Pública espancou inocente

.
Bosco Lobato. Foto, Facebook.

Jornal Independente - 8 de maio de 2014 - Tradução de Timor Hau Nian Doben

Um membro do Batalhão de Ordem Pública (BOP) da Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL) bateu num inocente, Bosco Lobato, de 52 anos de idade, até partir-lhe o nariz.

A vítima já fez tratamento intensivo na sala de urgências do Hospital Nacional Guido Valadares (HNGV). Uma testemunha, Luís Gonzaga, disse que é um problema entre o dono e as pessoas que ocupam terras na área e Tasi Tolu.

A mesma testemunha afirmou que, este caso do problema das terras já deu entrada no Ministério Público, mas ontem de manhã, cerca as 10:30, o membro da BOP, agente Jorge Lopez (Joz Audian) apareceu de repente com um polícia que não estava a par do problema e agrediu logo o dono das terras. Nesta agressão o polícia Joz saiu do carro, deu um pontapé no dono das terras, depois a vítima Bosco disse, irmão não pode bater, pergunte primeiro, depois é que bate. Depois disso, Joz seguiu a vítima até à casa dela e bateu na vítima até partir-lhe o rosto e o nariz.

"Nós estávamos a trabalhar no Mira Mar Blok e nós ouvimos, e por isso é que corremos para lá, o Joz foi bater no Bosco mesmo em frente de nós e a gritar disse, vocês não se mexam, fiquem calmos", disse ontem esta testemunha aos jornalistas, no quartel da PNTL, em Caicoli.

Por este motivo, o irmão mais velho (de Bosco) pediu ao comando da PNTL para processar depressa este caso que envolve o membro da BOP, porque estes atos de baterem nas pessoas da comunidade à toa, é um crime.

Ele disse que a "Task Force" está também a fazer um atendimento neste problema das terras e não há problemas, mas de repente, o agente Joz da BOB fez uma intervenção, sem nenhuma ordem, ele interveio em interesse próprio.

"Como cidadãos timorenses temos de exigir à PNTL para que exerça as suas funções com profissionalismo e agirem de acordo com as regras, se houver ordens do comando é que eles atuam, não é baterem nas pessoas até estas sangrarem desta maneira e depois deixam e vão-se embora, nós não queremos que situações destas aconteçam em Timor", declarou o irmão mais velho da vítima.

Ele (irmão mais velho) disse que o agente da policia apareceu de repente no local, ele não estava a par do problema, que surgiu anteriormente, mas bateu logo até o nariz e a cara da pessoa racharem.

O Comandante Operacional Nacional, Superintendente Armando Monteiro, disse que ele já recebeu a queixa, mas está concentrado neste momento na assistência e tratamento da vítima, depois é que abre um processo contra o agente Joz.

"Nós neste momento estamos a concentrar-nos no tratamento de saúde da vítima, depois nós fazemos um processo de investigação para apurarmos a causa do acontecimento, depois é que nós entregamos ao departamento da justiça para processar este caso", disse Armando.

O chefe do Banco e Urgência do HNGV, Cosme Saldanha, declarou que a vítima estava a fazer um tratamento intensivo na sala de emergências.

"Nós fizemos observações à vítima e desconfiamos que o nariz possa estar partido porque foi batido com muita força", disse.

 Este acontecimento ocorreu na área de Tasi Tolu, ontem, cerca das dez e meia da manhã, o membro da BOP utilizou uma viatura Prado com a matricula COP A 106.

O jornalista tentou confirmar com o Comandante da Unidade Especial da polícia, Superintendente-chefe Afonso dos Santos, mas não obteve nenhuma declaração porque ele estava num encontro com o vice-primeiro-ministro, La Sama. 
.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.