segunda-feira, 28 de julho de 2014

Quanto vale o sangue do povo da Guiné Equatorial?

.

Nalu Brasil 

Quando se pensava que nada mais nos podia surpreender chega a noticia de que a Guiné Equatorial foi aceite como membro pleno da CPLP.

Parece inacreditável que um país onde a corrupção, repressão e a palavra Direitos Humanos não existe, tenha sido aceite numa Organização Internacional que se diz séria. Por certo a Guiné Equatorial não tinha qualquer chance de entrar na "Commonwealth" e a CPLP (Comunidade de Países de Língua Portuguesa) pareceu uma alternativa interessante!

Mas será que é assim tão inacreditável?

Vejamos: Corrupção está amplamente representada entre os membros da CPLP, logo parece que a Guiné Equatorial será apenas mais um, entre tantos. Repressão é o nome do meio de grande parte dos regimes representados na CPLP, talvez até alguns membros possam dar algumas dicas à recentemente entrada Guiné Equatorial quanto a Direitos Humanos, honestamente nem me vou manifestar, mas talvez neste ponto a Guiné Equatorial venha a ser uma mais-valia em termos de "know-how". 

Não surpreende que o palco desta adesão tenha sido Timor-Leste, até pelas semelhanças entre o regime de Xanana Gusmão e de Teodoro Obiang.

Mas mesmo considerando todos os consideráveis ainda custa a engolir esta adesão. A pressão de Dilma e José Eduardo do Santos surtiu o necessário efeito. Que interesses poderão ter países como o Brasil e a Angola na entrada da Guiné Equatorial na CPLP?

 Resposta: dois, Sonangol e Petrobras para além de com certeza uma chuva de luvas, comissões e outros bónus arrancados do sangue do Povo da Guiné Equatorial. Ramos Horta apesar de tentar dar aulas de pretensa civilidade ao regime de Obiang, esquece o total fracasso do combate à pobreza, miséria e dos Direitos Humanos em Timor-Leste.

Como Portugal pode ser membro de uma organização que começa a parecer uma organização criminosa? Porque tolera Portugal?

Portugal tem muito a ganhar com tudo isto. Como se sabe Portugal está na rota das dúbias divisas Brasileiras e Angolanas que muito têm contribuído para o Eldorado Lusitano (mas Portugal não está na beira da falência?) adquirindo controlo de quase todas as actividades de importância nacional. Já nada surpreende, desde a venda de vistos "gold" a cidadãos estrangeiros procurados pela Interpol, até à venda do controle energético aos chineses.

Não me surpreenderia que a TAP fosse vendida a uma organização criminosa. Será que a Al Qaeda está interessada em fazer uma proposta intermediada pelos mesmos interesses que intermediaram a entrada da Guiné Equatorial na CPLP?

Tudo isto provoca Asco a um qualquer cidadão que preze a liberdade e o amor à vida. Espero que Dilma e José Eduardo do Santos tenham um estômago suficientemente forte pois algum dia terão que engolir a cabidela de sangue que tanto apreciam.

Nota: Então beijos e saudades para o Leblon, Rio de Janeiro. Até ao Natal. :)
.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.