domingo, 3 de agosto de 2014

Aprovada remodelação governamental em Timor-Leste e permanência de Xanana Gusmão até 2017

.
Foto de, RTTL
Díli, 03 ago (Lusa) - O Conselho Nacional da Reconstrução de Timor-Leste (CNRT, no poder) aprovou hoje uma resolução que estabelece um período de transição para a saída do primeiro-ministro do país, Xanana Gusmão, e uma remodelação no atual governo.

"O partido recomendou que o primeiro-ministro chegue até ao final do mandato (2017) para preparar a nova geração e é preciso também remodelar o governo para responder às exigências", disse à agência Lusa no final do encontro o secretário-geral do partido, Dionísio Babo.

Segundo Dionísio Babo, a decisão sobre o tempo determinado para a transição política para a nova geração será, contudo, decidida pelo primeiro-ministro, que hoje afirmou, numa intervenção enquanto presidente do partido, ter decidido pela remodelação e não pela resignação.

Sobre a remodelação governamental, Dionísio Babo disse que foram feitas recomendações para a diminuição do tamanho do atual governo, que tem 55 membros, mas "cabe ao primeiro-ministro decidir".

Questionado sobre se a remodelação é para ser feita de imediato, o também ministro da Justiça afirmou que sim, porque é "preciso responder às exigências dos eleitores e da população em geral".

"Este governo é muito 'gordo' e não é muito eficaz por causa da burocracia e não está a responder efetivamente em termos de prestação de serviço ao povo", disse, acrescentando que alguns membros do governo têm "má imagem".

Desde final de 2012, Xanana Gusmão tem reafirmado a sua intenção de abandonar o cargo de primeiro-ministro.

Em julho, em entrevista à agência Lusa, o primeiro-ministro de Timor-Leste disse que vai sair do Governo para contribuir melhor para a construção do Estado, mas evitou avançar uma data precisa para a sua demissão.

Em 2012, Xanana Gusmão formou um governo de coligação com o Partido Democrático, liderado por Fernando La Sama de Araújo, atual vice-primeiro-ministro, e a Frente Mudança, chefiado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, José Luís Guterres.

Xanana Gusmão, de 68 anos, foi um dos líderes da luta contra a ocupação indonésia de Timor-Leste, entre 1975 e 1999, que culminou com a realização de um referendo a 30 de agosto de 1999, que determinou a independência do território.

A 20 de maio de 2002, dia da restauração da independência do país, tomou posse como Presidente. Em 2007, tomou posse como primeiro-ministro e em 2012 foi reconduzido no cargo.

MSE // JLG

Lusa/Fim
.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.