sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Candidato a PM de Timor-Leste tem que sair de proposta de forças politicas - Presidente Fretilin

.

Díli, 30 jan (Lusa) - O presidente da Fretilin, Lu'Olo, disse hoje à Lusa que a nomeação de um sucessor de Xanana Gusmão, caso este se demita como primeiro-ministro, tem que partir dos partidos com assento parlamentar e não do atual titular do cargo.

Os comentários de Lu'Olo surgem depois de fontes do executivo confirmarem que Xanana Gusmão está a definir a composição do próximo executivo apesar de ele próprio se poder demitir do cargo de primeiro-ministro pelo que o próximo governo teria que, formalmente, ser definido pelo seu sucessor.

Para o presidente da Fretilin, "se é remodelação é da competência do primeiro-ministro. Se é reorganização é outra coisa. Quer queira quer não abre-se o caminho para um novo primeiro-ministro".

"Mas o novo primeiro-ministro não é da escolha do atual primeiro-ministro Kay Rala Xanana Gusmão. Tem que haver uma nova plataforma no Parlamento Nacional para apresentar um novo candidato para ser o primeiro-ministro deste país", afirmou.

Lu'olo falava à Lusa antes de entrar para uma reunião da Comissão Política Nacional da Fretilin, convocada esta semana, depois de noticias de que Xanana Gusmão teria convidado militantes do partido e membros do Comité Central para integrar o elenco governativo.

O presidente da Fretilin considera, porém, que independentemente do formato, se deve reformar o Governo que é "muito grande".

"A administração é muito pesada e tem muitos funcionários e diretores. Acho que é altura para se fazer esta reestruturação. E para rever a reestruturação do Governo para remodelar a administração no seu todo e para redefinir a politica do Governo", considerou.

Além de Lu'Olo participam na reunião da Comissão Política Nacional (de 15 elementos e dois suplentes), o secretário-geral do partido, Mari Alkatiri.

Xanana Gusmão deverá fazer este fim de semana uma declaração ao país antes de apresentar, segunda-feira, a sua demissão ao presidente da República, Taur Matan Ruak, explicam fontes do Governo.

O presidente ouviria depois os partidos com assento parlamentar mas tudo indica que o nome proposto para suceder a Xanana Gusmão, segundo fontes do Governo e da Fretilin ouvidas pela Lusa, será o de Rui Araújo, que foi ministro da Saúde no primeiro governo timorense.

Essa possibilidade consolidou-se nos últimos dias com fontes do executivo timorense a confirmarem que além de a Rui Araújo, Xanana Gusmão terá formulado convites a três outros membros da Fretilin para que integrem o Governo.

São eles o deputado da Fretiin Estanislau da Silva - que poderá ser um de quatro vice-primeiros-ministros com funções de coordenação - e a do também deputado Inácio Moreira, que deverá ocupar a pasta de vice-ministro das Telecomunicações.

Para o cargo de ministro dos Negócios Estrangeiros deverá ser nomeado o atual embaixador timorense na Coreia do Sul, Hernâni Coelho, também ele membro do comité central da Fretilin.

Tanto Rui Araujo como Estanislau da Silva integram a comissão política nacional da Fretilin e estão na reunião de hoje.

"Temos muito bons quadros da Fretilin. Se o PM os convidou diretamente para fazer parte é um assunto para a comissão política, que se vai reunir agora para discutir sobre esse assunto e vamos, naturalmente tomar alguma decisão", disse.

Estão ainda presentes no encontro, na sede do partido em Díli, o presidente da Comissão Nacional de Fiscalização, o presidente da Comissão Nacional de Jurisdição, a secretária-geral da Organização Popular da Mulher de Timor (OPMT) e o presidente da Associação de Combatentes da Luta de Libertação Nacional (ACLLN).

ASP // JPF
Lusa/Fim
.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.