segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Mauk Moruk:"Eu nunca quis render-me às Embaixadas da Austrália ou dos Estados Unidos"

.

Timor Hau Nian Doben - 26 de janeiro de 2015

Em declarações há poucos minutos ao Timor Hau Nian Doben, o antigo Comandante das Falintil, Paulino Gama, também conhecido com o nome de guerra Mauk Moruk, negou que alguma vez tenha pedido às Embaixadas da Austrália e dos Estados Unidos da América para mediarem a sua rendição ou que  quisesse render a estas representações diplomáticas.

"Isto foram manobras de diversão de terceiros, o que eu pedi é que estes dois países tenham atenção ao que vai dentro do Governo, corrupção, roubos e o sofrimento do nosso povo, e que ajudem a defender e que sejam cumpridos os direitos do povo, mas eu nunca pedi para eles serem mediadores da minha rendição", disse Mauk Moruk.

Zizi Pedruco (insistiu) -O Tempo Semanal noticiou que o senhor se queria render a estas embaixadas e que as negociações já estavam em curso, senhor Comandante explique-me lá como deve de ser que eu estou confusa.

Mauk Moruk (com muita paciência) - Ó minha irmã, mas como é que eu me posso render às embaixadas se estou cercado por todos os lados? Se eu render é negar tudo o que acredito, é negar a morte da minha mulher que foi barbaramente assasinada pelos indonésios, dos meus filhos e dos mártires da pátria, dos nossos irmãos que morreram. Eu não me vou render a estas embaixadas, eu vou morrer em Timor-Leste. Eu não confio nos jornais timorenses, não falo com nenhum deles, estão todos comprados.

O jornal Tempo Semanal noticiou na passada quarta-feira que Mauk Moruk apenas se renderia às embaixadas dos Estados Unidos da América ou da Austrália porque "não confiava nos governantes timorenses".
.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.