quarta-feira, 27 de maio de 2015

Mauk Moruk: Lere só sabe cumprir as ordens do patrão Xanana

.

Timor Hau Nian Doben - 27 de maio de 2015

O antigo comandante das Falintil e Presidente do Conselho de Revolução do Povo Maubere (CRPM), Mauk Moruk, acabou de dizer ao Timor Hau Nian Doben que não se vai render e não vai ceder às exigências do chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, Lere Anan Timur, porque este "apenas cumpre as ordens do patrão Xanana".

"Ao mandarmos a carta para Taur Matan Ruak, nós recorremos a todos os meios pacíficos que nos restavam. Olha, o Lere só cumpre as ordens do patrão Xanana Gusmão, eles estão desesperados, mas eu não me rendo se eles não cumprirem o que eu lhes pedi na carta", afirmou.

Mauk Moruk  declarou que não "perdoa mais" o chefe do Estado-Maior por ele não estar a defender os "surpremos interesses deste povo sofredor" e estar a cumprir as ordens do patrão Xanana e insistir que o líder do CRPM seja submetido à justiça.

"A carta não foi dirigida a Lere, ele deve distanciar-se dos assuntos políticos, ele é militar e não jurista. Eu não vou perdoar mais o Lere. Ele está a pairar nos píncaros da lua e está com merdas que não me convencem. Ele é general e não deve intrometer-se nos assuntos da justiça. Olha, pergunta ao Lere sobre a cicatriz que ele tem na perna direita. Sabes, se não fosse eu ele teria morrido numa emboscada que os indonésios nos fizeram para os lados de Ainaro, pergunta-lhe. Eles agora já não se lembram destas coisas, mas deixa lá, isto já passou", disse.

Mauk Moruk questionou o facto de Lere Anan Timur afirmar que o Estado irá usar a força contra ele e os seus homens caso não se rendam.

"Mas que Estado? O Estado é ele, Taur e o Xanana. Eles não pensam neste povo, eles vivem bem e o povo continua a viver miseravelmente, este povo que já foi tão espezinhado, massacrado e maltratado. O Taur, Lere e Xanana são personae non gratae em Timor-Leste", afirmou.

"Não acreditem nestas conversas de rendição, é tudo mentira. A minha luta continua a assentar em três pilares: Deus, os nossos heróis e os nossos antepassados. Tu sabes disso, não sabes minha irmã? É para isto é que eu vou lutar até morrer. Render não vou render, essas conversas deles são como aquelas canções folclóricas como uma no Brasil, a Lambada. Eles usam muitas formas subtis para me enganarem, mas a mim é que não me enganam", declarou Mauk Moruk.

Zizi Pedruco - Se o Presidente Taur Matan Ruak não aceitar as exigências que o senhor estipulou na carta, qual será a sua reação?

Mauk Moruk - Se o Taur Matan Ruak estiver consciente da situação atual da política ele deve dizer algo construtivo e não vangloriar-se e dar valor só a ele próprio e falar apenas dele próprio, senão ele torna-se num déspota como o Xanana. Até agora ainda não recebi nenhuma resposta. Eles que cumpram à letra o que está na Constituição da República e aviso já que se eles vieram com força contra nós, nós vamos usar também força contra eles, taco a taco, eles são uns mercenários.

Zizi Pedruco - Existem declarações de que não foi o senhor comandante quem escreveu a carta, quer dar uma resposta a estas alegações?

Mauk Moruk - Fui eu quem escreveu a carta, só não procedi às normas habituais da burocracia, como pôr um cabeçalho e outras coisas, mas eu estava com pressa. Em Díli estavam a pedir para eu me apressar com a carta.

O Presidente do CRPM acrescentou que esta situação em que ele se encontra é culpa de Xanana Gusmão e que este é um segundo Suharto.

"O Xanana está cada dia mais feroz, é um segundo Suharto, ele é um homem muito perigoso mas as pessoas ainda não se aperceberam disso. É um demagogo, ditador, cínico, uma mistura de Suharto e Adolf Hitler. Um dia ele vai cair de cú", terminou.

Mauk Moruk escreveu no passado dia 15 ao Presidente da República estipulando as suas condições para negociar com as autoridades, entre as várias exigências, o líder do CRPM exigiu que lhe retirassem o mandato de captura e que cessassem todas as operações policiais e militares contra ele e os seus homens. Esta missiva a que o Timor Hau Nian Doben teve acesso foi também entregue a Lere Anan Timur e ainda a  algumas Organizações Internacionais.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.