segunda-feira, 22 de junho de 2015

COC aprisionou L7 em casa para não o deixarem realizar a manifestação

.

Timor Hau Nian Doben - 22 de julho de 2015 

O Timor Hau Nian Doben falou com um dos organizadores da manifestação e este disse que a manifestação não pôde ser levada a cabo hoje, porque o Comando de Operação Conjunta (COC) cercou "totalmente" a casa do ex-comandante das Falintil,L7, e proibiram qualquer pessoa de entrar e sair. 

"O Pai L7 já deu a conferência de imprensa e queria dirigir-se para o Largo de Lecidere, mas a polícia e os militares da COC fecharam todos os caminhos para o Pai sair e não deixam ele sair. A casa está cheia de membros do COC. O COC está em todos os cantos e com armas pesadas. Nós aconselhamos o Pai L a não ir, porque eles podiam pegar no Pai e meter na cadeia. Nós ainda precisamos do Pai para denunciar as injustiças que fazem contra o povo na nossa amada terra. O Rui Araújo deve estar contente, porque já mostrou a sua ditadura para nós todos. Hoje eles silenciaram-nos e amanhã eles vão silenciar o povo todo para esvaziarem o dinheiro do povo. Não há maneira de o Pai L sair de casa", disse. 

 "Agora quem está em casa do Pai L7 é como um prisioneiro do COC, agora é que parece mesmo o tempo da Indonésia, uma nova ditadura instalou-se na nossa amada terra", terminou o organizador.

 Logo pela manhã chegaram relatos a este blogue que o Largo de Lecidere estava cercado por agentes da polícia, que estavam munidos de material bélico pesado, e que tinham vedado completamente o local, para deste modo intimidar a população que quisesse juntar-se à ação pacifica liderada por L7, contra o governo de Rui Araújo.

"O Largo de Lecidere está vedado e cercado pela polícia, são muitos polícias e estão altamente armados, eles estão a ameaçar todos os manifestantes, eles dizem que vão matar quem não acatar as ordens da polícia", disse.

O antigo comandante das Falintil propunha-se a realizar uma manifestação pacífica de seis dias começando hoje, o mote desta ação é a luta contra a  corrupção. L7 reuniu milhares de manifestantes que vieram de vários pontos do país e o "governo teve medo de ser desmascarado e usou a força para impedir-nos, mas vão conseguir calar-nos até quando?". 

A Constituição da República do país garante a todos os cidadãos "a liberdade de reunião pacífica e sem armas, sem necessidade de autorização prévia."
.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.