terça-feira, 9 de junho de 2015

Díli prepara-se para o teste da chegada de 1.800 turistas de cruzeiro australiano

.

Díli, 09 jun (Lusa) - Díli prepara-se para receber, no sábado, até 1.800 turistas num evento sem precedentes para o país, quando o navio australiano Pacific Jewel ancorar ao largo da capital timorense e 'testar' a capacidade de resposta de Timor-Leste.

Apesar de, no passado, já terem passado por Díli outros navios de cruzeiro, a visita do australiano Pacific Jewel - que pela sua dimensão terá que ficar ancorado na baía de Díli - é o primeiro teste deste tipo (e com esta dimensão) ao setor do turismo timorense.

Daí que, desde que a visita foi conhecida que o assunto tem suscitado alguns debates nas redes sociais, com muitos a questionarem se Timor-Leste tem ou não capacidade para receber este tipo de fluxo de turistas.

Fonte do Ministério do Turismo timorense explicou à Lusa que a receção ao navio está a ser preparada com a colaboração do setor privado, com a organização de transportes, tours e visitas a mercados e locais de compras de artesanato e produtos timorenses.

Em terra estão planeados dois tours para os turistas, um na cidade de Díli e arredores e outro até à zona de Liquiçá e Maubara, a oeste da capital.

Em Díli, entre os locais a visitar contam-se o Arquivo e Museu da Resistência Timorense, o Centro Cultural Xanana, o Museu de Dare, o cemitério de Santa Cruz, a estátua do Cristo Rei e a zona de Taci Tolo, onde está a estátua do papa e onde decorreram as celebrações oficiais da independência.

Estão ainda programadas visitas a dois mercados, incluindo o já antigo Mercado Tais e um novo mercado mensal que começou em maio com artesanato timorense.

Fora de Dili estão previstas visitas à zona de Liquiçá, incluindo as ruinas da Prisão de Aieplo, o resort Black Rock e o Forte de Maubara, entre outros locais.

Um dos maiores desafios está a ser reunir transporte para o elevado número de turistas.

Fonte da P&O Cruises Australia explicou à Lusa que a paragem pouco usual ao largo de Díli se deve à viagem, também pouco usual, que o navio está atualmente a realizar.

Apesar de ter a sua base normalmente em Sydney, o Pacific Jewell partiu no passado dia 5 de Singapura - onde esteve a ser alvo de reparações e manutenção - e está atualmente numa viagem que inclui paragens na Indonésia (Semarang, Bali e Ilha Komodo), Timor-Leste e Papua Nova Guiné.

O navio, que tem uma tripulação de 730 pessoas, e quase 840 quartos, deverá chegar a Brisbane, no estado australiano de Queensland, no dia 21.

Desenhado pelo italiano Renzo Piano e com capacidade para mais de 2.000 passageiros - depois de reformas levadas a cabo nos últimos anos -, o navio de mais de 70 mil toneladas, 11 convés e um comprimento de 245 metros.

A bordo tem o maior spa de toda a frota P&O, um parque de aventuras, seis restaurantes, oito bares, uma discoteca, duas piscinas, biblioteca, casino e lojas, entre outras.

ASP // SO

Lusa/Fim
.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.