segunda-feira, 15 de junho de 2015

Prontos para morrer, L7 não tem medo e vai em frente com a manifestação - organizador

.
Foto de Timor Hau Nian Doben.
Timor Hau Nian Doben - 15 de junho de 2015

O Timor Hau Nian Doben acabou de falar com um dos organizadores da manifestação que se irá realizar no dia 22, liderada pelo antigo comandante das Falintil, L7, este afirmou que apesar de todas as intimidações por parte das forças de segurança a demonstração vai em frente.

"Maun L7 não tem medo nem se intimida com as ameaças, porque ele tem a razão e a lei do lado dele. Ele não é qualquer um, ele lutou muito para que esta terra fosse independente, não é para agora estar a ver o povo a sofrer e ficar sem fazer nada e olhar apenas para um pequeno grupo a desfrutar da riqueza que é de todos timorenses, e o povo a passar tanta fome e a sofrer tanto", disse.

"O Longuinhos Monteiro é um mafioso drogado e anda a fazer os jogos do Xanana, nós sabemos que eles têm uma lista de pessoas que eles querem matar, o Longuinhos tem ordens para matar: Maun L7, Maun Moruk, Aitana Matak, Ângela Freitas, Gil Fernandes e ainda mais", declarou.

O organazidor da manifestação afirmou a este blogue que não têm nenhuma intenção de usar a violência e que estão prontos para morrer, que o país que eles tanto lutaram não pode continuar no estado em que está.

"Chega, estamos fartos, não temos medo de morrer, estamos prontos para morrer, se não tivemos medo dos indonésios, vamos ter medo destas marionetas do Xanana? Não temos medo de ninguém. Fizemos tudo pela via legal e os governantes nem nos deram uma resposta às cartas que lhes mandamos, só veio esta da polícia. Para te dizer a verdade, nós temos também gente na polícia e no exercito, estas instituições não são deles, pertencem a todo o povo timorense", salientou.

A mesma pessoa acusou o primeiro-ministro Rui Araújo de "fazer jogadas por trás das cortinas" e incriminou ainda o chefe do governo de ter autorizado que se use a violência contra a população durante as buscas para capturar Mauk Moruk.

"O Rui faz as jogadas dele por trás das cortinas. Ele deu ordens para se poder usar a violência contra a população que a polícia desconfiasse que pudesse estar a esconder Mauk Moruk. Estes líderes não têm moral para governar este país que foi construído em cima do sangue deste povo", acusou.

"Eles não têm nada contra nós. Estão com medo que se acabe o império deles. Este país não é companhia privada do Xanana Gusmão, do Alkatiri e de ninguém, pertence a todo o povo timorense. Maun L7 é o pai da reforma, da luta contra a corrupção e injustiça", declarou.

A manifestação programada tem o nome de "People Power" e é encabeçada por L7 e vai-se realizar durante seis dias, tendo inicio no dia 22 até ao dia 28 do corrente mês. Para além do irmão de Mauk Moruk, entre os organizadores desta manifestação encontram-se: veteranos, a Organização Sagrada Família e ainda elementos da Caixa Clandestina.

A Polícia Nacional de Timor-Leste recusou o pedido de L7 para realizar a manifestação pacifica alegando que:

- L7 encontra-se sob uma medida cautelar, Termo de Identidade e Residência.
- As forças de defesa estão todas concentradas na captura do Presidente do Conselho de Revolução.
- Receio que o comandante L7 cometa outro crime.

"O drogado do criminoso do Longuinhos Monteiro está a brincar se calhar, Maun L7 não é qualquer um, L7 é um herói nacional, lutou toda a vida dele por esta terra, tantos membros da família dele foram mortos pelos indonésios. Eles não podem tratar como se ele fosse um criminoso como eles", terminou o organizador da manifestação.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.