quarta-feira, 1 de julho de 2015

Famílias impedidas de irem buscar os corpos dos jovens assassinados pelo COC

.


Timor Hau Nian Doben - 01 de julho de 2015

Em declarações à imprensa timorense, o antigo comandante das Falintil, Cornélio Gama mais conhecido por L7, acusou os membros do Comando da Operação Conjunta (COC) de recusarem as famílias de resgatarem os corpos dos dois jovens assassinados pelas forças de segurança, no passado domingo, na aldeia de Sigilaba, no suco de Atelari, distrito de Baucau.

L7 disse ao Jornal Nacional Diário que no tiroteio ocorrido no passado domingo entre o COC e o Conselho de Revolução Maubere (CRM) foi ferido um soldado da Força de Defesa de Timor-Leste e dois homens do CRM foram mortos,  até agora as famílias foram proibidas de verem os corpos.

"Um que morreu é o Sabino, o outro é o Cristóvão, morreram com tiros, tiros de armas, morreram no local, e as famílias tentaram ver e eles (COC) proibiram, se calhar os corpos já estão podres", acrescentou.

Cornélio Gama disse ainda que este acontecimento foi provocado pela COC, "eles é que fizeram o assalto e disparam rajadas contra os homens de Mauk Moruk". L7 disse ainda que foi uma sorte Mauk Moruk não estar armado porque senão "alguns deles é que tinham morrido".

O antigo comandante das Falintil apelou ao diálogo ao governo para se resolver o problema de Mauk Moruk.

De acordo com uma fonte deste blogue, a situação na área de conflito continua tensa, o povo continua com muito medo do COC e muitos "nem se atrevem de sair de casa para irem fazer as suas hortas ou irem para as suas atividades quotidianas. O povo está muito traumatizado e com muito medo".

Relacionado: Dois mortos e um ferido é o balanço dos confrontos entre a polícia e membros do CRM
.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.