domingo, 18 de outubro de 2015

Palestinianos protestam o uso de jogadores brasileiros por Timor-Leste

.
Foto de:D.R
Por Jack Kerr - The New York Times - Tradução para o Português de Zizi Pedruco

A Federação palestiniana de futebol requereu formalmente à FIFA para investigar a elegibilidade de sete jogadores nascidos no Brasil, que foram convocados  por Timor-Leste para o  jogo da semana passada para a qualificação para o Mundial.

As equipas empataram na capital timorense, Díli, na passada quinta-feira, o golo da equipa de Timor-Leste foi marcado por um dos timorenses de nacionalidade brasileira. O resultado prejudicou as chances da equipa palestiniana de avançar para a fase final das eliminatórias asiáticas para o Mundial de 2018, na Rússia.

Numa carta dirigida ao secretário-geral interino da FIFA, Markus Kattner, a Associação de Futebol da Palestina sustenta que Timor-Leste pôs em campos sete jogadores que não possuem a cidadania (timorense) de acordo com os regulamentos da FIFA.

Segundo as regras da FIFA, um jogador pode ser elegível para representar um país se ele nasceu lá, viveu lá durante cinco anos como um adulto, ou tem pais ou avós de lá. Timor não tem uma liga nacional para atrair os jogadores profissionais, e embora o país tenha uma língua comum com o Brasil (Português), os elos como a migração são limitados. Porém, quase 20 jogadores nascidos no Brasil são listados como tendo cidadania timorense.

A carta dirigida à FIFA é assinada por Susan Shalabi Molano, um membro sénior da Associação de Futebol palestiniana e é também membro do comité executivo da Confederação de Futebol da Ásia (A.F.C.). O presidente da federação timorense, Francisco Kalbuadi Lay, é também membro do comité executivo da A.F.C. (sigla inglesa).

Molano afirmou que ela não tinha conhecimento de qualquer outra queixa proveniente de outros adversários recentes de Timor-Leste.

Numa conferência de imprensa esta semana, o treinador brasileiro de Timor-Leste, Fernando Alcântara, expressou a sua satisfação pela forma como a sua equipa foi capaz de se equiparar à capacidade da equipa palestiniana. Quando questionado o quanto o recrutamento (dos jogadores) condicionou o resultado, ele desviou a questão e repetiu uma resposta anterior sobre a sua equipa ter melhorado na força, na preparação, na mentalidade e na estratégia.

Todavia, a unidade da equipa tem sido um problema. Tem havido constantes preocupações relativamente a timorenses terem sido tratados injustamente dentro da equipa. O capitão Anngisu Barbosa não jogou na equipa nos dois jogos mais recentes, apesar de se encontrar em Díli. E antes do jogo com a Palestina, os timorenses nascidos em Timor-Leste instalaram-se num centro de desportos local, enquanto os brasileiros se hospedaram num hotel económico na esquina. Os jogadores foram alojados juntos num hotel antes do jogo subsequente com a Malásia.

Timor-Leste perdeu com a Malásia, 1-0, e após um começo promissor na  campanha de qualificação encontra-se agora em último lugar no seu grupo.
.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.