terça-feira, 27 de outubro de 2020

Diretor do MNEC chama “cavalos-marinhos” a timorenses

 

 

Zizi Pedruco 


Num documento oficial do Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação o diretor, Crisogno de Araújo, chama de “cavalos-marinhos” aos timorenses que estão à espera de voos para a Europa.

 

“A Direção de Privilégios e Imunidades, queria de solicita o serviço da Aviação Civil de facilitar a pedido o serviço da Aviação Civil de facilitar o pedido em epigafe (…), para trazer de volta muitos timorenses para a Europa, estes cavalos-marinhos trabalham e vivem na Inglaterra, Iland e Portugal”.

 

Oh, boy! Até tenho os pelos levantados, primeiro vou puxar as orelhas ao senhor Diretor pelo seu Português, uma lástima, Sr. Diretor. Sabe Sr. Diretor, os nossos guerrilheiros com tantas dificuldades que deparavam durante a invasão Indonésia, nunca deixaram de honrar a Língua Portuguesa, falo, por exemplo, do General Taur Matan Ruak, do Comandante Xanana Gusmão e tantos outros. Passados 18 anos e trabalhando o senhor no MNEC é inadmissível que dê estes erros, inadmissível.

 

Lembro-me em 1992, José Amorim, hoje creio que é um diplomata timorense, ter chegado a Portugal para as Jornadas no Porto, eu estava sentada na mesa com o Professor Barbedo de Magalhães e o Amorim fez uma intervenção e eu baixinho disse ao Professor Barbedo: mas que lindo Português, e o Professor Barbedo transmitiu para a audiência o que eu lhe disse baixinho, Amorim ficou envergonhado, mas foi verdade, foi mesmo uma intervenção em português corretíssimo. Como ele tantos outros, por exemplo, Constâncio Pinto e José Evaristo Madeira, foram os que mais me impressionaram com o Português deles, quando chegaram a Portugal em 1992. Depois de quase 20 anos da Restauração da Independência, como diretor do MNEC, o senhor não tem nenhuma desculpa para emitir um documento nos termos em que emitiu. Uma vergonha!

 

O senhor Diretor tem de ir estudar Português e não é um bocadinho é muito mesmo! Que vergonha! Como eu tenho fama aqui em casa de ser a “polícia da gramática”, eu mandei este documento para vários amigos portugueses a perguntar o que achavam. Resposta de uma amiga minha:” Não percebo o Português deste documento”. Pois, nem eu.

 

Deixemos a Língua Portuguesa e passemos aos “cavalos-marinhos”. Cavalos-marinhos, o senhor refere-se aos timorenses chamando-os de cavalos-marinhos? Mas no que estava a pensar? Bebeu? Não deve ter sido pouco…

 

Depois de ler os erros que deu em Português e chegando aos “cavalos-marinhos” eu tiro a conclusão que não lhe resta outra alternativa senão demitir-se, imediatamente! A comunidade timorense está deveras ofendida com o documento, e os insultos que lhe dirigem no Facebook são merecidos, mas é também uma  vergonha para o Ministério que o senhor representa. O senhor ofendeu estes timorenses de forma irreparável, demita-se!  

 

O senhor pode pedir as desculpas que quiser, mas estas não devem ser aceites pelo Ministério dos Negócios dos Estrangeiros porque claramente o senhor não tem nem aptidões humanas nem académicas para continuar a exercer o cargo que ocupa. 

 

Demita-se, Sr. Diretor!

Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.