sexta-feira, 30 de outubro de 2020

Ramos-Horta: “Indonésia nunca aceitou o Plano de Paz do CNRM”


 Zizi Pedruco

Épá, cá estou eu outra vez..., mas pronto, lá tem de ser.

Isto é mesmo só entre nós, senhores leitores, eu acho que assaltaram o Facebook do Dr. Mari Alkatiri, porque quem escreve o que escreveu no seu mural não pode estar lá muito bem da cabeça. Digo isto porque numa altura em que o mundo se depara com uma pandemia, bem como com uma grande crise económica e sanitária, Mari Alkatiri deveria estar preocupado com o povo e com os destinos da nação e não estar a fazer provocações e a tentar gerar a instabilidade no país, claramente utilizando a velha tática, dividir para reinar.

 

O tio Alexandre e Ramos-Horta andam a correr Timor de lés-a-lés, nestas viagens têm tido contacto diário com a população e isto parece estar a incomodar muito o Dr. Alkatiri e à sua “brigada de choque”. Mari Alkatiri acusa-os de andarem a “enganar” o povo e a fazerem campanha eleitoral. Não sei se é isso ou não, mas o que é certo é que a Fretilin tem estado também em campanha eleitoral desde sempre, mas eles usam outro nome, socialização. 

 

Alkatiri no fundo, sabe que nunca será ninguém sem a sombra de Xanana Gusmão, um facto. A Fretilin só elegeu o Presidente da República com ajuda do tio Alexandre. Gostemos ou não de Xanana Gusmão, o seu poder sobre o povo continua a ser enorme. O povo dança com ele, brinca com ele, chora com ele, quem sou eu para o criticar? Critico políticos, não critico cidadãos, Xanana hoje em dia é apenas um cidadão timorense e como tal não será alvo de criticas por parte deste blogue. Eu cá gosto imenso é dos Tik Tok do tio Alexandre. 


Estando o tio Alexandre e Ramos-Horta desempregados da política, eles podem fazer o que bem entenderem, ou o Alkatiri queria que eles fossem cavalos mandados dele? Deixem-rir, hahahaha.

 

Passemos ao famoso Plano de Paz de 1993 do Conselho Nacional de Resistência Maubere (CNRM). Ena! Já lá vão  27 anos, a mesma idade do meu filho mais velho e o Alkatiri não larga este osso, livra!

 

Mari Alkatiri escreveu este texto no mural dele no Facebook, em Tétum, vou traduzir para os senhores leitores.

 

“Hahaha. Gabam-se um ao outro. Xanana Gusmão entrou em Cipinang, Ramos-Horta andava à procura de caminho para o Nobel da Paz. Os dois apresentaram o Plano da Paz onde se aceitava a autonomia durante dez anos, seria renovado em 1993-1994. Com isto Ramos-Horta ganhou o Nobel da Paz em 1996. Se Suharto aceitasse o Plano de Paz do CNRM, eu acredito que ele também receberia o Nobel da Paz. Se isso acontecesse, a estas horas Xanana Gusmão seria Governador de Tim-Tim e o Ramos-Horta estaria a trabalhar na ONU como Comissário de qualquer coisa. Nós todos temos de fazer um estudo comparativo com o processo da Palestina. Agora eles os dois apoiam um ao outro para continuarem a mentir ao povo. Se eles continuassem a governar Timor-Leste o povo de Timor-Leste continuaria a viver apenas de esmolas. Não querem reconhecer os erros, penduram-se um no outro para mentir na mesma o povo”.

 

Compreendem porque disse que o Facebook do homem talvez tenha sido assaltado? 

 

Não fazem sentido estas acusações em 2020, porque Timor é um Estado independente e queiramos ou não, Ramos-Horta foi uma das personagens chave para que Timor se tornasse independente, ele era a voz dos timorenses no exterior, a sua credibilidade na comunidade internacional era intocável. Quem era Alkatiri naqueles tempos? Comparando com Ramos-Horta era um Zé-Ninguém, perdoem-me  mas é a mais pura verdade.


Ramos-Horta em entrevista ao jornal Tempo Timor explicou o Plano de Paz e passo a traduzir as palavras de Horta ao jornal timorense.

 

A realidade é que, quando nós combatemos contra militares, a luta não é só de armas, temos que lutar com o cérebro, às vezes o cérebro é mais importante do que as armas, quando fazemos diplomacia temos de lutar com o cérebro. Por isso tivemos de arranjar uma estratégia para avançar com o nosso problema e evitar mais vítimas de guerra, disse.

 

“Foi este o Plano de Paz do CNRM, mas o regime de Suharto não aceitou, o próprio Ali Alatas encontrou-se comigo nas Nações Unidas, Nova Iorque, em 1994 disseo seu Plano de Paz é uma ponte para saltar para a independência”.(...) Suharto não era um ignorante e rejeitou o plano porque ele viu este Plano de Paz como um salto de preparação para a independência, explicou.

 

Ramos-Horta disse ainda nesta entrevista ao citado jornal que já está katuas  e não quer entrar em ataques pessoais sobre este assunto com outros líderes, afirmou ainda que continua apartidário e apenas aceitou o convite de Xanana Gusmão para visitar o povo durante a pandemia.

 

 “Eu sou uma pessoa com quase 70 anos, não quero entrar em debates com os outros líderes, se vocês quiserem, se querem esclarecimentos, a realidade é que a Indonésia nunca aceitou este Plano de Paz, porque a Indonésia e o próprio Ali Alatas perceberam que era uma ponte para dar um salto para a Independência. Eu não entro em ataques pessoais, eu posso não concordar com este líder ou aquele líder, não concordar é uma questão de princípio, mas eu não ataco.”

 

Afinal qual foi o erro de José Ramos-Horta e do CNRM ao apresentarem este Plano de Paz? Aliciar Ali Alatas para uma mesa de negociação? Não houve erro nenhum, foi sim o cérebro de Ramos-Horta a fazer o que fazia sempre naquela altura, ser brilhante.

 

O Dr. Alkatiri anda nervoso e aparenta medo ao ver Xanana e Ramos-Horta mais uma vez juntos, eu até sei porquê, mas fica para uma outra vez, senhores leitores.

 

Está com medo de quê, Dr. Alkatiri? 

 

Nota: Roubei a foto no Facebook do Ramos-Horta, vão lá espreitar tem fotos lindas, mas não roubem como eu.

 


Sem comentários:

Publicar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.